quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Astrônomos do passado: saiba o que realmente significam pinturas rupestres

Pintura rupestre (imagem referencial)

Petróglifos dos períodos paleolítico e neolítico, em que abundam pinturas de diferentes animais, são na verdade imagens de constelações, informa uma publicação no site da Universidade de Edimburgo.
Até agora, acreditava-se que essas imagens mostravam situações cotidianas ou cenas de caça. No entanto, após um estudo cuidadoso das cavernas na Turquia, Espanha, França e Alemanha, os cientistas chegaram à conclusão de que as pinturas nas cavernas foram criadas com uso de uma tecnologia tipo.
Isso prova que as pessoas dessa época dominavam a astronomia a um nível significativo. Como indicam os pesquisadores, a nova descoberta sugere que há 40 mil anos as pessoas já rastreavam o tempo usando conhecimentos sobre a alteração das posições das estrelas.
Além disso, de acordo com os especialistas, esquemas de constelações eram usados para registrar eventos importantes, tais como desastres naturais.
Particularmente, foi verificado que as pinturas na caverna Lascaux, na França, contêm informações sobre a colisão de um meteorito com a Terra, ocorrida por volta de 15.200 anos antes da Era Comum.
https://br.sputniknews.com/ciencia_tecnologia/2018112812787307-astronomos-passado-pinturas-rupestres-significado/


Do Blog de ANCHIETA FRANÇA: Nada haver!

A P C GRÁFICA RÁPIDA EM SÃO JOÃO DO SABUGI/RN.

APC GRÁFICA RÁPIDA 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto



Com a benção do nosso Padroeiro São João Batista e do Senhor Jesus Cristo, iniciamos uma nova fase de empreendimento aqui em São João do Sabugi/RN!



Localizado no Edifício Nozinho Fernandes n° 261, centro, antigo Salão de barbeiro do Chico Bernardo, onde atenderemos a todos de igual valor.



A APC GRÁFICA RÁPIDA nasce para renovar!



Aberto de segunda a segunda das 6:30hs as 17:30hs! 



Desde já agradecemos a todos pela confiança em nosso trabalho!

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Espetáculo Teatral O Mágico de Oz nas terras do Sabugi.

I Festa Literária de Mãe D´Água/PB, homenageia a cordelista Leandro Gomes de Barros

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
O município paraibano de Mãe D´Água receberá a primeira edição da Festa Literária da região, a Flima. O evento começa nesta quarta-feira (28) e se encerra na sexta-feira (30).
O evento é uma iniciativa da direção da Escola Estadual Francisco Romano da Silveira, em parceria do Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-PB) , Prefeitura Municipal de Mãe D´Água e ainda empresas que atuam na região.
“Mãe D’água tem nos dado um exemplo muito claro acerca da importância da leitura para o desempenho escolar”, afirmou o secretário de Estado da Cultura, Lau Siqueira, ressaltando ainda que “a Escola Estadual Francisco Romano da Silveira já bateu as metas do Ideb (Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico) pela segunda vez consecutiva, e a Flima nasceu deste diálogo e da necessidade de darmos visibilidade para um trabalho que vem sendo feito cotidianamente. Esta é mais uma festa literária que nasce na Paraíba com o objetivo de estimular professores, alunos, comunidade escolar de um modo geral, escritores e artistas da região”.
Já a coordenadora geral do evento, a pedagoga Rosana Leão, explica que esta primeira edição do evento homenageará o poeta Leandro Gomes de Barros, um dos mais importantes escritores de literatura de cordel do país.
A I Festa Literária de Mãe D´Água terá em sua programação: palestras, apresentações musicais, oficinas de teatro, xilogravura, contação de história
PROGRAMAÇÃO – I FESTA LITERÁRIA DE MÃE D´ÁGUA
Dia 28/11 – Quarta-feita
19h 30 – Abertura: Palestra com o professor e poeta Antônio Mota
Tema: Leandro: “O Rei da poesia do Sertão e do Brasil”
Apresentação Cultural com a dupla de cantadores repentistas “Os irmãos Pereira” e Concerto com o Programa de Inclusão através da Música e das Artes (PRIMA) – Polo Patos
Durante toda Festa teremos um estande da Livraria Universitária de Cajazeiras-PB
Dia 29/11 – Quinta-feira
8h – Caminhada Literária pelas ruas da cidade
10h – Palestra com a Professora Ms. Shirley Monteiro
Tema: Literatura: Fruição e engajamento
10h – Confabulando – Oficina de Contação de História, com Edna Soares.
11h – Mediação e Leitura: “Qual o papel do professor?”, com Zuila Couto
14h – Palestra com o escritor Jairo Cezar
Tema: Literatura e Infância: Estratégias e desafios para uma cidade leitora
14h – Oficina de Teatro com o ator e diretor Sebastião Formiga
15h – Confabulando – Oficina de Contação de História, com Edna Soares.
19h – Apresentações Culturais:
Apresentações dos trabalhos da Professora Vandecleide Cavalcante
Apresentação das Escolas Municipais
Banda de Flauta Doce “Melodia Sertaneja”
Yure Cabral Voz e Violão
Rafaela Ribeiro Voz e Violão e Júlio percussão
Espetáculo Teatral O Mágico de Oz nas terras do Sabugi. Alunos da Escola Santa Terezinha de São João do Sabugi–RN
Dia: 30/11- Sexta-feira
8h30 – Oficina de Teatro com o ator e diretor Sebastião Formiga
9h- Oficina de Aquarela, com o professor Milton Davi
10h- Oficina de Xilogravura – Rosana Leão
11h – Palestra com Moisés Alves
Tema: Por uma educação para os novos tempos
Durante todos os dias da Flima -Visita a Sala da Exposição dos desenhos de Mônica Moraes.
14h – Oficina: Leitura Expressiva do texto literário, com Ariano Ferreira, professor e mestre em Língua Portuguesa.
15h – Palestra com a professora Verônica Melo
Tema: literatura: Uma janela aberta para reflexões acerca do meio ambiente
16h – Oficina de Literatura de Cordel com Ramon Medeiros
https://paraibaonline.com.br/2018/11/i-festa-literaria-de-mae-dagua-homenageia-a-cordelista-leandro-gomes-de-barros/

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Feliz Natal - Supermercado Nossa Sra do Patrocínio


Novo encarte do Supermercado Nossa Sra do Patrocínio aqui em São João do Sabugi já está disponível!
Venha conferir essas e muitos outros produtos em oferta.




Aguardamos a sua visita
                                                   

Feliz Natal e própero ano novo!

Nino de Nozinho e Família!

domingo, 25 de novembro de 2018

Chove chuva, chove sem parar



-CHUVA NA MADRUGADA DESTE SÁBADO APAGA INCÊNDIO DEVASTADOR EM ÁREAS RURAIS DA PB.

Imagens foram registradas na manhã deste sábado (24), em locais que foram atingidos pelo fogo devastador na região da serra, área rural do município de Diamante (PB).
Até o final da tarde da sexta-feira, ainda era possível ver da cidade, a fumaça dos incêndios.
“Apagou tudo. A chuva fez até lamaçal nas estradas, graças a Deus. Posta ai para o povo ver”, disse o internauta.
Uma forte chuva caiu na região durante boa parte da madrugada.
O fogo atingiu centenas de hectares em Diamante e cidades circunvizinhas, trazendo danos irreparáveis aos proprietários e a própria natureza.

Diamante Online Via http://www.seridonoticias.com.br/

Prefeita Lydice Brito Participa da Abertura do Projeto “FEITO A MÃO”!

A prefeitura municipal de São João do Sabugi/RN, através da secretaria municipal do trabalho, habitação e assistência social e do ACESSUAS, iniciou nessa quinta-feira (22) a primeira oficina de artesanato “FEITO A MÃO”. O projeto visa capacitar e inserir no mercado de trabalho mulheres beneficiárias do programa bolsa família, dando oportunidade de incrementar no orçamento da família uma renda extra, confeccionando tiaras, laços e outros produtos totalmente artesanais. De acordo com a coordenadora do programa Acessuas, Katiane Cristina, foram inscritas mais de 30 famílias.

A Prefeita Lydice Brito esteve presente na abertura desejando boa sorte a todas e falando da importância do projeto para as mulheres, na oportunidade a prefeita citou exemplo da época em que estudava: “Não devemos ter vergonha de fazer ou vender produtos feitos por nós, por exemplo eu e minha irmã Lydiane montávamos bijuterias para vender na faculdade, até hoje tenho lembranças guardadas dessa época”. O projeto FEITO A MÃO se estenderá até o dia 27 de dezembro com exposição dos trabalhos realizados durante as aulas e com entrega dos certificados. 


sábado, 24 de novembro de 2018

Chove chuva,chove sem parar - Municípios do interior do RN registram intensas chuvas

Vários municípios do interior do Rio Grande do Norte registraram intensas chuvas na tarde desta sexta-feira (23). Essas chuvas, consideradas atípicas nesse período, mas que podema contecer como chuvas de pré-temporada, foram registradas nas regiões do Vale do Assu e no Médio Oeste.
Chuvas pelo RN
São Rafael: 30,6 mm
Campo Grande: 26,8 mm
Major Sales: 11mm
José da Penha: 9,8 mm
Caraúbas: 2,8 mm
Itajá: 1,0 mm
Foto registrada no momento da chuva em Campo Grande
Blog do BG

NAVIO PESQUEIRO POTIGUAR É ATACADO POR EMBARCAÇÃO CHINESA

Um navio atuneiro potiguar, com cerca de 22 metros de comprimento e 10 tripulantes a bordo, foi atacado por um navio chinês que tem mais que o dobro do tamanho. Segundo o Sindicato da Indústria de Pesca do Rio Grande do Norte, o ataque aconteceu no final da manhã desta quinta (22) a 420 milhas da costa brasileira (676 quilômetros), já em águas internacionais. Não há feridos. 









Está acontecendo uma guerra no mar, uma guerra pelo atum”, disse Gabriel Calzavara, presidente do Sindpesca. 

O sindicalista contou que o navio chinês bateu propositalmente no Oceano Pesca I, que é o nome da embarcação potiguar. “Por rádio, o comandante chinês disse, em português, que iria mandar ao fundo o navio brasileiro. E começou a se aproximar muito rapidamente, até bater”, afirmou. 

O dono da atuneiro, Everton Padilha, disse que o Oceano Pesca I só não naufragou graças a uma proteção de poliuretano que serve como acondicionante térmico para manter os peixes frescos. “Abriu um buraco no casco. Como depois da chapa de aço tem essa camada de poliuretano, ela impediu que a água invadisse o interior do navio. O navio potiguar resistiu porque é novo e feito de aço. Senão, teria afundado, a tripulação estaria morta agora e ninguém jamais saberia o que havia acontecido”, acrescentou. 

Por fim, Everton disse que a tripulação está bem, e que o navio já está retornando para Natal, devendo atracar na capital potiguar na manhã deste sábado (24). “Deveríamos passar 25 dias em alto-mar pescando atum. Agora, com o que aconteceu, estamos voltando com prejuízo”, ressaltou. 

“É preciso que o governo brasileiro tome providências antes que o pior aconteça”, concluiu Gabriel. 

A Marinha do Brasil informou que tomou conhecimento do incidente de navegação entre a embarcação “Oceano Pesca I” e um barco de pesca estrangeiro. Em nota, o órgão informou que a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte (CPRN), instaurou um inquérito para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do caso, bem como instruir ações nas instâncias adequadas.



Fonte: G1/RN.

DESCOBERTOS NO BRASIL UMA VASTA COLEÇÃO DE ANTIGOS CUPINS



Uma impressionante coleção de cupins antigos e enormes foi descoberta por pesquisadores atordoados no Brasil. A descoberta notável teria sido descoberta pela primeira vez após a derrubada de uma floresta e a descoberta pela primeira vez de pilhas curiosas de terra em forma de cone. Uma investigação subseqüente de cientistas concluiu que eles eram cupinzeiros pertencentes a um grupo realmente surpreendente de tamanho e idade.

Segundo os pesquisadores, o complexo montículo abrange uma área aproximadamente igual ao tamanho da Grã-Bretanha. Acrescente a isso uma visão geral de tirar o fôlego: a rede consiste em 200 milhões de montes e o aglomerado pode ser visto do espaço! Inacreditavelmente, algumas das estruturas têm pelo menos 4.000 anos de idade, o que ironiza a construção do monte, aproximadamente na mesma época em que as pirâmides foram construídas.

Medindo cerca de 8 metros de altura e 30 metros de diâmetro, os cientistas dizem que os montes são o produto da poeira das térmitas durante a construção de um vasto sistema de túneis abaixo da Terra. Um pesquisador que estudou este incrível grupo está surpreso que este seja o "melhor exemplo conhecido de engenharia de ecossistemas por uma única espécie de inseto".


Além de insetos simples, o feito também pode competir com conquistas humanas quando se considera o tamanho do complexo. "Imagine que é uma cidade", disse ele ao Washington Post, "nunca construímos uma cidade tão grande". E, supondo que os cupins ainda estejam cavando, é evidente que a coleção de montes só aumentará com o tempo.
https://areazone51ufos.blogspot.com/2018/11/un-vaste-ensemble-danciens-termites.html

Loja Trabalho e Fraternidade promove 4ª Noite da Educação, Cultura e Arte

lojamaconica
A Loja Maçônica Trabalho e Fraternidade, em Caicó, promoveu nesta quinta-feira (22), a quarta edição da Noite da Educação, Cultura e Arte. Foram homenageados com a medalha Trabalho e Fraternidade o pároco emérito de Sant’Ana, monsenhor Antenor Salvino de Araújo, e medalha Filhas da Acácia, o artista plástico Jonas Tito.
O evento contou com palestra proferida pelo médico oftalmologista e maçom Josivan Pereira, caicoense radicado em Mossoró, que falou sobre as contribuições da Maçonaria para a humanidade. “Essa instituição só aceita homens bons e livres, que acreditem na existência de Deus. E o compromisso é de ser um homem melhor, aperfeiçoando-se para uma sociedade melhor”, disse o palestrante.
O evento também com a apresentação da Companhia de Teatro Arte e Vida, além da exposição de artes plásticas, artesanato e obras literárias. Participaram da solenidade representações de lojas maçônicas de Mossoró, Natal e Parelhas, além da Ordem Demolay, Filhas de Jó e sociedade civil.


Segundo o venerável mestre da Loja, Marcos Batista, o objetivo é reunir a sociedade “que valoriza sua própria cultura, reconhecendo os relevantes serviços dos homenageados que ajudam no engrandecimento de Caicó”. “Agradeço a oportunidade de ser homenageado pela Loja Trabalho e Fraternidade, que tanto bem faz a instituições como Abrigo, Casa da Caridade, APAE e Fazenda da Esperança”, disse monsenhor Antenor.
Via S.Nery

UTILIDADE PÚBLICA (SÃO JOÃO DO SABUGI): SERVIÇO DE MELHORIA NA REDE ELÉTRICA COM DESLIGAMENTO PROGRAMADO

cid:image001.jpg@01D3F735.71DB2130
Resultado de imagem para cosern png
UTILIDADE PÚBLICA (SÃO JOÃO DO SABUGI): SERVIÇO DE MELHORIA NA REDE ELÉTRICA COM DESLIGAMENTO PROGRAMADO
Natal, 23 de novembro de 2018

A Cosern comunica que, para realizar serviços de melhoria na rede elétrica, será necessário interromper temporariamente o fornecimento de energia elétrica em 03 (três) ruas do bairro Centro, neste sábado (24), das 08h às 13h (262 clientes), em São João do Sabugi. Seguem informações:

- Nas ruas: Honório Maciel, Professor Antônio Carlos, Tenente Antônio Medeiros e adjacências.

Caso os serviços sejam realizados antes do horário previsto, a rede será energizada sem aviso prévio.

Fique atento: a Cosern sempre avisa antecipadamente quando precisa realizar desligamento programado na rede elétrica.

Sobre a Cosern
A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), empresa do Grupo Neoenergia, é sexta maior distribuidora de energia elétrica do Nordeste em número de clientes e a quinta em volume de energia fornecida. Presente nos 167 municípios potiguares, a Cosern tem uma área de concessão de 53 mil quilômetros quadrados.  A empresa atende 1,4 milhão de clientes (3,5 milhões de habitantes).

DICAS DE SEGURANÇA COSERN
Acesse o site (www.vamosdarumbasta.com.br) e conheça as dicas de segurança para evitar acidentes com a rede elétrica.
Fotos: Cosern/Divulgação

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Dois aviões perseguindo um OVNI perto da Estação Zucchelli, Antártica, em novembro de 2018


Data do avistamento: 23 de novembro de 2018
Local de observação: Perto da Estação Zuccheli, Antártica

Dois aviões perseguindo um OVNI e sendo perseguidos por outro disco UFO maior ... tudo no mapa do Google. O satélite que tirou a foto dessas naves não tem agenda, nada a esconder, é apenas uma máquina fazendo seu trabalho. Portanto, o satélite não pode criar OVNIs ou aviões falsos, mas só pode relatar o que vê. 

Este é um achado impressionante no mapa do Google. Os aviões estão voando baixo para o chão para escapar do radar, assim como o OVNI como se estivessem juntos olhando para o outro. Acho que esse pequeno OVNI à frente dos aviões é uma tecnologia alienígena nas mãos da USAF e está sendo usado para treinar novos pilotos para lidar com os discos de tecnologia alienígena que a Força Aérea fez ou comercializou. 
Scott C. Waring




FAB Realiza Segunda Reunião do Comitê Executivo de Atividades Espaciais (CAESP)



Encontro discutiu aspectos relacionados à tecnologia de acesso ao espaço

Por Ten Cristiane dos Santos
Fonte: Agência Força Aérea


Fotos: Wilhan Campos/CECOMSAER

O Comitê Executivo de Atividades Espaciais (CAESP) reuniu, nesta terça-feira (20/11), em Brasília (DF), representantes do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), da Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE) e do Subdepartamento Técnico do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (SDT-DCTA). Também participaram, por meio de videoconferência, integrantes do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), em São José dos Campos (SP). A reunião tratou sobre veículos para acesso ao espaço.

Coordenado pelo Vice-Presidente da CCISE, Brigadeiro do Ar José Vagner Vital, o Comitê tomou ciência do panorama atual do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) e discutiu aspectos relacionados à tecnologia de acesso ao espaço com vistas ao planejamento de ações em veículos lançadores atuais, como o VS-50/VLM-1, além de projetos futuros, como os da família Áquila. Outros assuntos em pauta foram a estrutura de governança dos atuais e dos futuros lançadores, bem como o envolvimento da CCISE nesses projetos, de forma a trazer a visão do cliente dos serviços e questões relacionadas a eventuais e possíveis cooperações internacionais.


“Verificamos, também, a conveniência de apresentar uma proposta ao Comitê de Governança de Atividades Espaciais [CGE] sobre os processos de gerenciamento e linhas gerais a serem observadas no desenvolvimento dos veículos lançadores, baseada nas alternativas avaliadas pelo CAESP e nas capacidades de lançamentos espaciais atuais e desejadas para o Brasil, sob a ótica do PESE”, disse o Brigadeiro Vital.

Participaram da reunião o Chefe da Terceira Subchefia do EMAER, Major-Brigadeiro do Ar Jefson Borges; o Chefe da Sexta Subchefia do EMAER, Major-Brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida e o diretor do IAE, Brigadeiro Engenheiro Augusto Luiz de Castro Otero; entre outras autoridades.

Esse foi o segundo encontro da CAESP. O primeiro ocorreu em 13 de março deste ano, quando avaliou as alternativas de implantação do Sistema Carponis-1 para submissão ao CGE. 


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

O TRAUMÁTICO EXÍLIO DA FAMÍLIA IMPERIAL BRASILEIRA




Há exatos 129 anos atrás, um golpe de estado liderado por setores do exército apoiados por uma camada da elite insatisfeita com o Império, derrubou a Monarquia no Brasil e Proclamou a República. Naquela época, o Império já havia degradado quase toda a sua sustentação política, mesmo assim, a aprovação do imperador ainda era grande por parte da população.

O imperador estava em Petrópolis quando soube dos acontecimentos daquele 15 de novembro de 1889 e foi levado ao Rio de Janeiro. O desejo de Dom Pedro II era permanecer no Brasil, mas acabou sendo banido com toda a família real. Além do banimento, o governo republicano confiscou e leiloou muitos dos bens da família imperial. Em 1890, treze leilões de bens da Casa Imperial foram realizados.

No dia 7 de dezembro, o navio que os levou para o exílio chegou em Lisboa, porém a chegada da família imperial coincidiu com as cerimônias de ascensão do rei D. Carlos I, e logo o governo português informou Pedro que a presença de um soberano deposto não era bem vinda na capital naquele momento. Humilhados pela recepção, o imperador e a imperatriz foram para a cidade do Porto enquanto que Isabel e seus filhos partiram para a Espanha.

A MORTE DA IMPERATRIZ E DO IMPERADOR

No dia 24 de dezembro de 1889, véspera de Natal, a imperatriz e o imperador receberam a notícia oficial informando que estavam proibidos de retornar ao Brasil. A "notícia aniquilou a vontade de viver de D. Teresa Cristina". Pedro escreveu em seu diário no dia 28 de dezembro: "Ouvindo a Imperatriz queixar-se fui ver o que é. Está com frio e dor nas costas; mas não tem febre". A respiração de Teresa Cristina ficou cada vez mais pesada enquanto o dia passava. Após uma falha no seu sistema respiratório que a levou a uma parada cardiorrespiratória, a imperatriz veio a falecer às 14h daquele mesmo dia.

Em seu leito de morte, ela disse a Baronesa de Japurá, cunhada do Marquês de Tamandaré: "Maria Isabel, não morro de doença. Morro de dor e de desgosto". Suas últimas palavras foram: "Sinto a ausência de minha filha e de meus netos. Não posso abençoar pela última vez. Brasil, terra linda ... não posso lá voltar"

As ruas do Porto ficaram lotadas de pessoas que se reuniram para assistir a procissão fúnebre. O corpo de Teresa Cristina foi carregado até a Igreja de São Vicente de Fora perto de Lisboa e enterrado no Panteão dos Braganças, de acordo com o pedido de Pedro. A morte da imperatriz também trouxe grande comoção ao Brasil.

Após a morte da esposa, Dom Pedro II se estabeleceu em Paris. Seus últimos dois anos de vida foram solitários e melancólicos, vivendo em hotéis modestos com quase nenhum recurso, ajudado financeiramente pelo seu amigo Conde de Alves Machado e escrevendo em seu diário sobre sonhos em que lhe era permitido retornar ao Brasil.

Pedro morreu em 5 de dezembro de 1891, em razão de uma pneumonia. Suas últimas palavras foram: "Deus que me conceda esses últimos desejos, paz e prosperidade para o Brasil." Enquanto preparavam seu corpo, um pacote lacrado foi encontrado no quarto com uma mensagem escrita pelo próprio imperador: "É terra de meu país; desejo que seja posta no meu caixão, se eu morrer fora de minha pátria". O pacote que continha terra de todas as províncias brasileiras foi colocada dentro do caixão. A princesa Isabel desejava que fosse feita uma cerimônia fúnebre discreta para o pai, porém acabou aceitando o convite do governo Francês que pretendia realizar um funeral de Estado para o imperador. Milhares de personalidades compareceram, incluindo diversos membros da nobreza europeia. Apesar das tentativas do governo brasileiro em abafar as notícias sobre a morte do imperador, missas solenes ocorreram por todo o país, seguidas de pronunciamentos fúnebres em que se enalteciam D. Pedro II e o regime monárquico.

Os restos mortais do imperador e da imperatriz foram repatriados para o Brasil em 1921. Ambos receberam um local de descanso final na Catedral de S. Pedro de Alcântara, Petrópolis, em 1939, com uma cerimônia que contou com a presença do presidente Getúlio Vargas.

A foto abaixo mostra o corpo de Dom Pedro II em seu leito de morte. O livro embaixo do travesseiro sob a sua cabeça simboliza que, "mesmo após a morte, sua mente descansa sobre conhecimento".

https://www.facebook.com/426337287820819/photos/a.427714047683143/588090771645469/?type=3&theater&ifg=1

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

8º EXERCÍCIO CRUZEIRO DO SUL - CRUZEX 2018 NATAL/RN-BRASIL

Resultado de imagem para Brasil e 12 países participam de treinamento da Força Aérea Brasileira em Natal

A Força Aérea Brasileira (FAB) começou ontem (18), em Natal (RN), um exercício militar envolvendo 13 países e cem aeronaves brasileiras e estrangeiras. Segundo a FAB, é o maior treinamento multinacional já promovido pela Aeronáutica, que também envolve militares da Marinha e do Exército. Cerca de 1,7 mil militares participam dos exercícios. Estão previstas 1,3 mil horas de voo até 30 de novembro.

O treinamento faz parte do 8º Exercício Cruzeiro do Sul, que é realizado desde 2002 pela FAB, e faz simulações de cenários de guerra e promove a troca de experiências entre as nações participantes, como Canadá, Chile, Estados Unidos, França, Peru e Uruguai. Alemanha, Bolívia, Índia, Portugal, Suécia, e Venezuela também participam, mas como observadores ou palestrantes.
A FAB participa do exercício com 70 aeronaves. Caças AF-1, da Marinha, também são utilizados. Os Estados Unidos enviaram para o Brasil cerca de 130 militares, seis caças F-16 e uma aeronave KC-135, usada para reabastecimento. O Chile participa com 90 militares e cinco caças F-16. O Peru tem quatro caças A-37 e mais quatro Mirage 2000, além de cem homens. A França e o Canadá enviaram dois cargueiros para a missão.

Sabugiense catador rala com carroça do pai, para fazer R$ 10 por dia em SP

O carroceiro nasceu no município de São João do Sabugi, a cerca de 300 km da capital do Rio Grande do Norte, Natal. Ele foi abandonado pelos pais e veio para São Paulo com cinco anos de idade. 
Aos 8 anos, começou a coletar material reciclável, inspirado em outras pessoas de rua que faziam isso e conseguiam ganhar dinheiro. Hoje, é o sustento dele e desperta até os sonhos de crescer com isso.
Evento do Pimp My Carroça em São Paulo

Evento do Pimp My Carroça em São Paulo

Divulgação/Gabs Leal/Pimp My Carroça
"Quero ter uma carroça com motor elétrico movido por energia solar e já estou me organizando para preparar uma televisão para transmitir os jogos da Copa do Mundo do Catar, em 2022, pela minha carroça", diz Lucena, com voz empolgada e esperançosa.
Trabalhando todos os dias, Lucena consegue tirar cerca de R$ 2.500 mensais. Mas para isso precisa de muita organização e foco, pegar todos materiais e ainda dar sorte de aparecer uns "carretos", que, segundo ele, "são quando as pessoas mudam de escritório e paga um pouco mais no nosso dia".
Muito ligado à tecnologia, Lucena diz que mora na carroça, em vários pontos da cidade. "Eu saio andando por onde consigo fazer gambiarras de energia, para conseguir assistir televisão, por que não vivo sem, e sempre quero fazer alguma coisa com luz". 
queda do prédio ainda sensibiliza o carroceiro, de olhar triste e sem perspectivas. “É lógico que continuo triste, tudo mudou com a tragédia”. A rotina também mudou porque João Silva, pai de Alexandre, machucou a mão e parou de trabalhar com a carroça. Hoje, sobrevive em uma outra ocupação na região central.
João, que não quis falar com a reportagem, disse que espera tempos melhores para conversar. “Estou sem dinheiro, não consigo trabalhar, e nem sei o que vou comer mais tarde”, conta mostrando a sacola com um refrigerante Dolly guaraná de dois litros e um saco de pães, que estava levando para a família se alimentar à tarde.
Alexandre mora no centro paulistano há 10 anos por causa do pai. Reticente, o carroceiro usa poucas palavras para contar sua história. O pouco que fala, diz que morava na região de Parelheiros, extremo da zona sul de São Paulo, e tinha uma casa.
Alexandre usa carroça para guardar os pertences pessoais

Alexandre usa carroça para guardar os pertences pessoais

Márcio Neves/R7
“Abandonei tudo e vim para cá. Não tem motivo, eu só saí de lá para morar no centro, desentendia muito com a mulher”, conta. Quando fala do assunto, Alexandre tenta desconversar e fala que foi para o centro por causa da família.
Ele também fica acanhado para falar se está arrependido da mudança: “Eu não fico pensando nisso, só vou vivendo, estamos aqui, agora não tem como pensar o que poderia ter feito”. Praticamente a mesma resposta é dada quando é para falar sobre as perspectivas. “Não tem como pensar no futuro, temos que fazer hoje”, diz.
Alexandre atua de forma independente e não faz parte dos 1.200 catadores que trabalham sob controle do município, segundo a Prefeitura de São Paulo. Esses trabalhadores controlados atuam em 24 cooperativas habilitadas na cidade. Segundo a prefeitura, os resíduos recicláveis são levados às Centrais Mecanizadas de Triagem e cooperativas para vender e gerar de renda para esses os coletores.
É vivendo um dia de cada vez, sem planejamento, que Alexandre passa pelas calçadas e tenta se organizar minimamente para arrumar a carroça. No dia 5 de outubro, quando a reportagem passou com o carroceiro, o momento dele era na calçada da avenida São Paulo, dividindo a cachaça Corote com os companheiros e esperando a noite chegar.
Aplicativo de coleta
Lucena é um dos cadastrados no app Cataki

Lucena é um dos cadastrados no app Cataki

Reprodução/Cataki
Desde julho do ano passado, a tecnologia chegou ainda com mais força para auxiliar os catadores de materiais recicláveis. O Pimp My Carroça lançou um aplicativo para Android e iOS que tem como objetivo, segundo o movimento, aproximar a pessoa que gerou o resíduo com o catador de material reciclável.
O app Cataki disponibiliza um mata, com informações de catadores de materiais recicláveis mais próximo de onde a pessoa que gerou o resíduo está. "Se a pessoa faz uma festa, ela pode colocar o resíduo que produziu na festa em uma sacola e colocar no portão de casa, ou pode acionar um catador para fazer a coleta", explica Bourroul.
O aplicativo tem cerca de 300 catadores de materiais recicláveis cadastrados. Todos eles aparecem com nome, apelido (se tiver), quais materiais coletam, uma frase que o próprio catador coloca, a região onde atua e a história de vida. O cadastro ainda indica o telefone para contato e se ele utiliza uma carroça grafitada pelo movimento. Com isso, a pessoa que quer descartar o material consegue ligar para o carroceiro e marcar para ele fazer a coleta.
O catador recolhe o material reciclável e costuma vender em ferro-velhos. "A pessoa que chama o catador não é obrigado a pagar, mas a gente estimula as pessoas a pagarem porque é um serviço público, então a gente fala para eles negociarem olho a olho", diz o coordenador do Pimp My Carroça.
Um dos cadastrados é o potiguar Lucena Rodrigues de Souza, 32 anos. Ele atua como carroceiro em várias regiões de São Paulo, entre eles Moema (zona sul), Lapa (zona oeste) e Jardins (centro).
Lucena afirma que cata todo tipo de material, mas diz que gosta mesmo quando pega latinha, que vende por cerca de R$ 3,50 o quilo. Ela também pega muito papelão (que está em torno de R$ 0,25 o quilo) e ferro (R$ 0,40 o quilo).
As cooperativas destacam que os catadores de materiais recicláveis precisam resistir, porque são fundamentais para a limpeza da cidade. Os dados oficiais da Prefeitura de São Paulo mostram que mais 87 mil toneladas de resíduos recicláveis foram recolhidos na cidade em 2017. Só no primeiro semestre deste ano, ainda de acordo com as informações da prefeitura, já foram 38 mil toneladas de materiais recicláveis recolhidos.
Segundo o coordenador de comunicação do movimento Pimp My Carroça, João Bourroul, a "maioria esmagadora" dos recicláveis coletados em uma grande metrópole como São Paulo foram pelas mãos dos carroceiros. "A gente recicla muito pouco, mas cerca de 90% do que é reciclado foi coletado pelos catadores", diz.
Pneu de carroça de Alexandre havia furado

Pneu de carroça de Alexandre havia furado

Márcio Neves/R7
Bourroul integra o movimento Pimp My Carroça, que é um coletivo que reúne artistas que estilizam os carros de coleta de recicláveis em algumas cidades do país, sobretudo na capital paulista.
Desde o início do Pimp My Carroça, em 2012, o movimento afirma que já atendeu mais de 1.400 catadores, mobilizou 1.200 artistas que fazem grafites, contou com apoio de cerca de 2.000 voluntários e revitalizou 10 cooperativas.
"No começo a gente brigava pela visibilidade dos catadores, agora lutamos também para que eles tenha uma rentabilidade com o trabalho que fazem", diz Bourroul.
A mesma luta do movimento, é a de Alexandre. Ele era morador da parte de baixo do prédio do Largo do Paissandu, que incendiou e desabou no dia 1º de maio deste ano. Desde a tragédia, ele fica migrando entre as calçadas do centro, na tentativa de escapar da prefeitura — que faz as limpezas e recolhem as carroças que obstruem as vias — e conseguir espaços cobertos para dormir. A carroça também carrega as roupas e pertences pessoais de Alexandre e dos companheiros.
Toda a renda feita por Alexandre e seus outros seis companheiros de calçada é dividida. Eles usam o dinheiro para tomar banho em algum hotel na região, comer e comprar bebidas alcoólicas. Na situação de rua, Alexandre acredita que a cachaça é um dos auxílios na sobrevivência.
Alexandre usa a carroça para pegar materiais recicláveis em SP

Alexandre usa a carroça para pegar materiais recicláveis em SP

Márcio Neves/R7
Carroça para trabalhar, calçada para dormir, comidas e bebidas. Essas são algumas das coisas que Alexandre Henrique da Conceição Silva, 35 anos, faz questão de compartilhar com os companheiros de rua. Ele faz parte dos cerca de 20 mil carroceiros estimados pelas cooperativas de reciclagens em São Paulo. 
É com a carroça do pai que Alexandre trabalha diariamente fazendo a coleta de materiais recicláveis em várias ruas do centro de São Paulo, para vender os materiais e conseguir uma renda diária de cerca de R$ 10. No entanto, segundo ele, “às vezes tem umas mudanças [pessoas trocando de residência] e rende uns 30, 40 reais”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...