ALINHAMENTO PLANETÁRIO

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Tema Astrônomo Amador: Deixe, o que importa é que gosto e pronto!

Busca por 'Terras' e a origem do Universo pautam encontro na China

Mais de dois mil astrônomos se reuniram por duas semanas em Pequim.
Supertelescópios, novas descobertas e observatórios solares foram temas.

Da EFE

Os avanços na busca das origens do Universo e dos planetas similares à Terra foram os principais assuntos discutidos na 28ª edição da Assembleia Geral da União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês), que termina nesta sexta-feira (31) em Pequim, na China.

Durante duas semanas, mais de dois mil astrônomos compartilharam seus descobrimentos e experiências nesse evento que começou em 1922 e ocorre a cada três anos. Nesta ocasião, foi sediado em um dos países que mais apostam na pesquisa espacial.

Os futuros observatórios solares, a construção de "supertelescópios" no Chile e no Havaí (EUA) e os avanços no descobrimento de objetos cada vez menores foram alguns dos temas mais abordados nas conferências.
Astronomia (Foto: Alexander F. Yuan/AP) 
Vice-presidente chinês, Xi Jinping, cumprimenta chefe da IAU, Robert Williams 
(Foto: Alexander F. Yuan/AP)
"Um dos objetivos é encontrar um planeta o mais similar possível com a Terra. Estão se descobrindo 'Jupíteres', mas podemos descobrir planetas menores", contou à Agência Efe David Montes, astrofísico da Universidade Complutense de Madri, na Espanha, e um dos participantes da assembleia.

Nesta 28ª edição da assembleia, os astrônomos também anunciaram um importante descobrimento, o do primeiro sistema multiplanetário e circumbinário (dois planetas orbitando ao redor de dois sóis), batizado de Kepler-47 e situado na constelação do Cisne da Via Láctea, há 5 mil anos-luz da Terra.


A China, uma nação que durante séculos foi uma das mais avançadas em astronomia (na previsão de eclipses e na observação de supernovas, que os chineses chamavam de "convidadas"), tem uma grande intenção de colaborar com a procura dessa nova "Terra", já que possui telescópios e observatórios na Antártica.


O país também tem um programa de missões tripuladas e a intenção de construir seu próprio telescópio solar e de aumentar o potencial de seus observatórios no Polo Sul.


"Agora, a China tem tanta capacidade em ciência, que praticamente se iguala a todos os projetos europeus e americanos", afirmou Valentín Martínez Pillet, coordenador de projetos do Instituto de Astrofísica das Ilhas Canárias, que pertencem à Espanha.


Segundo Pillet, se os chineses se esforçarem em torno dos mesmos objetivos da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA), será possível obter mais dados, o que "seria estupendo".


Outra linha de pesquisa muito viva na astrofísica atual é sobre a origem do Universo: o "Bing Bang" já não é um mistério, mas ainda não há um consenso sobre o que se passou desde aquela grande explosão até o Universo atual.


"Graças a uma nova câmara instalada no telescópio espacial, há dois ou três anos, estamos começando a analisar como se formaram os primeiros objetos, descobrindo que eram muito menores que o tamanho das galáxias atuais", explicou Ignacio Trujillo, também cientista do Observatório Astrofísico das Ilhas Canárias.


"Tínhamos visto a explosão do 'Big Bang' com a radiação de fundo, mas nos faltava unir esses períodos primitivos até o Universo próximo", declarou o especialista, que ressaltou que outro desafio é ver qual vai a ser o futuro do telescópio das Canárias, o maior atualmente. No entanto, em dez anos, ele deve ser superado pelos do Chile e do Havaí.


Os chineses, de fato, poderiam ter interesse em usar o arquipélago espanhol para seus projetos paralelos aos programas internacionais. "Uma possibilidade é de que países como China e Índia, que estão investindo muito dinheiro agora, decidam pôr nas Canárias um telescópio com essas mesmas características", explicou Trujillo.


Em relação à vida em outros planetas, essa não parece ser uma grande obsessão dos cientistas, sendo que alguns, como o Nobel de Física de 2011, Brian Schmidt, dizem que talvez seja melhor nem buscá-la.


"Provavelmente, não é o mais inteligente dizer aos alienígenas onde estamos, já que um encontro com eles poderia não ser muito agradável", assinalou o cientista na assembleia, enquanto Martínez Pillet afirmou que progressos nesse sentido são inevitáveis.


"Esses avanços serão alcançados em alguma missão que será lançada não antes de 2030 e 2040. Nesse período de 10 anos, é possível que a Nasa e a ESA lancem uma missão que permita encontrar moléculas orgânicas na atmosfera de outros planetas", completou.

Telescópio da Nasa capta superbolha brilhante a 160 mil anos-luz da Terra

Estrelas ficam dentro de nebulosa na galáxia Grande Nuvem de Magalhães.
Imagem foi feita há dez e montada agora com três registros diferentes.

Do G1, em São Paulo

O telescópio de raio-X Chandra, da agência espacial americana (Nasa), detectou uma "superbolha" brilhante a 160 mil anos-luz da Terra. O registro foi feito há dez anos, durante mais de 5 horas, e divulgado nesta quinta-feira (30) após a união de três registros diferentes.

Trata-se do aglomerado de estrelas NGC 1929, localizado dentro da nebulosa N44, na galáxia-anã Grande Nuvem de Magalhães, vizinha da nossa Via Láctea.

As estrelas jovens e massivas desse aglomerado produzem uma intensa radiação e expulsam matéria em alta velocidade, o que as faz explodir rapidamente como supernovas – explosões estelares muito violentas, resultantes da morte de uma estrela.

Nebulosa (Foto: Nasa/CXC/U.Mich./S.Oey, IR: Nasa/JPL, Optical: ESO/WFI/2.2-m) 
Aglomerado de estrelas fica em nebulosa
 (Foto: Nasa/CXC/U.Mich./S.Oey, IR: Nasa/JPL, Optical: ESO/WFI)
 
A imagem acima é composta por três capturas diferentes, representadas pelas cores azul, vermelho e amarelo.

Em azul, o Chandra flagrou o vento proveniente desses astros e o choque das supernovas que esculpem superbolhas no gás. Em vermelho, estão dados infravermelhos, que mostram a poeira e um gás mais frio. Jás as informações em amarelo foram obtidas por luz óptica – feitas pelo telescópio Max-Planck, do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile –, que revelam onde a radiação ultravioleta faz o gás brilhar.
Esta é a primeira vez que os dados obtidos foram suficientes para distinguir as diferentes fontes de raios-X produzidas pelas superbolhas. O estudo foi liderado pela Universidade de Michigan, nos EUA. Também participaram a Universidade Johns Hopkins, em Maryland, a Universidade de Illinois e o Instituto de Astronomia da Universidade Nacional Autônoma do México.

O programa Chandra é gerenciado pelo Centro de Voos Espaciais Marshall, em Huntsville, no Alabama. O Observatório de Astrofísica Smithsonian controla as operações científicas e de voo do telescópio em Cambridge, Massachusetts.

Lua azul

Quem costuma fuçar os calendários durante o ano – no meu caso, atrás dos feriados – deve ter notado que o mês de agosto terá duas Luas cheias. A primeira foi logo no dia 2 e a segunda vai ser no dia 31. Esta segunda Lua cheia em um mês é chamada de “Lua azul”. Mas por quê?

A expressão “Lua azul” tem sido usada há pelo menos 400 anos, mas não como sendo a segunda Lua cheia do mês. Este significado nasceu de um erro ocorrido em 1946 e se tornou popular nos últimos 20 anos. Já vi muita gente graúda dizendo que este hábito remonta aos fenícios ou egípcios, mas é pura bobagem.



Veremos o porquê.
No século 16, dizer que a Lua era azul significava exprimir algum tipo de exagero. Dizia-se: “fulano é tão desligado que diria que a Lua é azul!” Esse conceito levou a outra expressão que indicava uma probabilidade bem remota de algo acontecer. Por exemplo, no século 18, dizia-se: “eu pagarei minha dívida com você quando a Lua estiver azul”.

Apesar de parecer muito estranho, já houve algumas vezes em que a Lua realmente se tornou azul no céu. Em 1883, quando o vulcão Krakatoa explodiu na Indonésia, a atmosfera ficou carregada por partículas de poeira que fizeram o pôr do Sol ficar esverdeado e deixaram a Lua azul no mundo todo por quase dois anos. Sempre que há uma grande quantidade de poeira na atmosfera, esse efeito se repete. Foi assim em 1927, na Índia, quando uma tempestade depois de uma enorme seca levantou toneladas de poeira na atmosfera. Ou em 1951, quando um enorme incêndio florestal no Canadá lançou uma quantidade de cinzas que deixou a Lua azul.

Em tempos mais modernos a expressão Lua azul se tornou um sinônimo de coisa rara, mas também de tristeza. Várias músicas usam esta expressão para associar tristeza e solidão, basta checar algumas músicas de Elvis Presley.

Já no final dos anos 1980, nos EUA, a expressão “Lua azul” se tornou moda. Foi uma febre que deu nome a milhares de restaurantes e mostras de arte no país. Quem for do meu tempo vai se lembrar daquela série de TV com a Cybill Shepherd e o Bruce Willis em começo de carreira, que no Brasil se chamava “A Gata e o Rato”. Eles tinham uma agência de investigação particular que se chamava “Blue Moon” (literalmente, “Lua azul”) e o nome original da série era “Moonlighting” (expressão que significa “segundo emprego” e faz um trocadilho com a palavra “luar”).

Já a partir desta época, Lua azul também significava uma segunda Lua cheia em um mesmo mês. Mas nem sempre foi assim.

Esse é um daqueles casos em que uma definição nasce de um erro. A definição de Lua azul aparece em um livro chamado “Almanaque do Fazendeiro do Maine” nas edições anuais entre 1819 e 1962. Em nenhum destes exemplares a definição é esta que conhecemos. A definição que aparece neste almanaque é bem diferente e tem mais a ver com as estações do ano, do que com os meses. É assim: “Em primeiro lugar considera-se o ano tropical, aquele que começa em um solstício de inverno (mais ou menos no dia 21 de dezembro para o Hemisfério Norte) e vai até o solstício de inverno seguinte. A maioria dos anos tropicais consegue conter 12 Luas cheias, três em cada estação do ano. Cada uma delas tem um nome específico para a atividade humana da época. Ocasionalmente, temos um ano tropical com 13 Luas cheias, o que significa que uma das estações do ano deverá ter quatro delas, ao invés de três. Nesta estação com quatro Luas cheias, a terceira a acontecer é chamada de Lua azul”, diz o almanaque.

Essa definição começou a se moldar em julho de 1943 em uma coluna de perguntas e respostas da revista Sky & Telescope nos EUA. Laurence J. Lafleur citou o fato de ocasionalmente haver 13 Luas cheias em um ano, mas não disse que se tratava de um ano tropical. Ainda assim, ele não falou nada de duas Luas cheias em um mesmo mês. Mas a vaca foi para o brejo mesmo em março de 1946. Na página 3 da edição deste mês, James Pruett, um astrônomo amador que escrevia costumeiramente para a revista, em um especial sobre meteoros, resolveu falar sobre Luas azuis. Ele repetiu uma conclusão do tal almanaque, que dizia que: “Em 19 anos, sete vezes aconteceu (e ainda acontece) de haver 13 Luas cheias em um ano. Isto dá 11 meses com uma Lua cheia em cada um e um mês com duas”. Mas concluiu erroneamente: “esta segunda Lua cheia do mês, assim eu interpreto, foi chamada de Lua azul.”

Talvez por ser mais fácil de se entender, a própria revista encampou esta nova definição e passou a tratar a Lua azul desta maneira em suas páginas. Na década de 1980, a onda se espalhou e agora não tem mais volta.

Isto não é uma coisa ruim de todo, quantas pessoas aí não acharam que o novo milênio começava em primeiro de janeiro de 2000? Este erro tem sim implicações mais práticas do que confundir uma Lua cheia. Entretanto, uma diferença fundamental pode ser notada das definições. Pelo almanaque, uma Lua azul pode ocorrer em qualquer mês do ano, basta ser a terceira Lua cheia da estação. Pela definição da revista, não é possível que ocorra uma Lua azul em fevereiro e os meses de 31 dias são os mais prováveis de ter uma Lua azul. Isto porque o intervalo de tempo entre duas Luas cheias consecutivas – uma lunação – é de 29 dias – e uns quebrados. Como fevereiro não pode ter mais que 29 dias, não tem jeito.

A Lua azul deste dia 31 de agosto é muito especial. Ela vai acontecer no mesmo dia do enterro de Neil Armstrong, o primeiro ser humano a dar o primeiro passo na Lua – com o pé esquerdo. Será uma boa oportunidade para render uma homenagem a ele. Basta se lembrar de ver a Lua cheia azul, lembrar-se de Armstrong e dar uma piscadela.

http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2012/08/31/lua-azul/

Astrônomo amador descobre explosão estrelar por acaso

Irlandês havia descoberto outra supernova a partir de seu quintal, em 2010.

Da BBC

Supernova (Foto: BBC) 
Supernova (Foto: BBC)
 
Menos de dois anos após descobrir uma explosão estrelar, evento chamado de supernova, um astrônomo amador avistou uma segunda explosão, as únicas já descobertas na Irlanda.

O desenvolvedor de software Dave Grennan, de 41 anos, estava vendo o céu com um telescópio a partir de seu jardim em Dublin, quando presenciou o espetáculo, na noite de 22 de agosto.

"Levei o maior susto da minha vida. Já ia dormir e, ao examinar a última foto, quase caí da cadeira. Sabia exatamente o que era, que não se tratava de sujeira na minha câmera, mas de uma supernova", disse ele.

Grennan afirmou que passou as horas seguintes examinando os dados e checando se mais alguém no mundo havia relatado o fenômeno. Ele então contatou a União Astronômica Internacional, que reconheceu e catalogou a descoberta.

"Fiquei muito animado de descobrir algo que não havia sido relatado em nenhum local do mundo antes" disse.

Neil Armstrong
Grennan dedicou a descoberta ao astronauta Neil Armstrong, que morreu no sábado (25), e explica que ela não pode ser batizada com o nome do americano, já que "apenas objetos permanentes recebem nomes".

Segundo explica o astrônomo amador, "a explosão pode ser vista por alguns meses e depois desaparece".

A supernova descoberta foi a de uma estrela cem vezes maior que o Sol ocorrida em outra galáxia, chamada IC2 166. O astro tornou-se grande demais e não suportou seu próprio peso, segundo especialistas. A explosão aconteceu há 123 milhões de anos-luz.

"Isso significa que levou mais de 120 milhões de anos para a luz da explosão viajar pelas profundezas do universo até o nosso planeta. É como olhar diretamente para o passado", disse.

O desenvolvedor de software já havia descoberto outra supernova em setembro de 2010, usando o mesmo telescópio.

Há quatro anos, ele descobriu também um pequeno asteroide, de apenas 3 metros de diâmetro, batizado com o nome de sua mãe, Catherine Griffin, que encorajou seu interesse pelas estrelas quando criança.

Pense nisso! Se " ELE " diz, é porque sabe.



Sabugienses vão às ruas no combate a dengue








Estudantes de todas as idades e a sociedade civil organizada, de São João do Sabugi RN, foram às ruas; na manhã de ontem, em manifestação contra a dengue.
Em comunidade de São João do Sabugi, no facebook, várias pessoas comentaram sobre a preocupação com os frequentes casos de dengue na cidade. Diante disso, estudantes, professores, escoteiros e população em geral, resolveram organizar uma mobilização pelas ruas. 
Com cartazes, faixas e panfletos informativos, os participantes distribuíram informações importantes sobre a dengue; buscando concientizar a população, alertar sobre a dengue e principalmente, convocar todos os sabugienses à entrarem na batalha contra o mosquito, fazendo, cada um, sua parte.
Parabéns à todos que participaram, em especial ao jovem Marcos Lima, que foi um dos principais divulgadores da mobilização, incentivando e convidando às pessoas à participarem. 
Isto é exercer sua cidadania. Isto é preocupar-se com o bem-comum. Isto é amar São João do Sabugi.

Fonte: http://aflordaterra.blogspot.com.br
Fotos - Albúm de Marcos Lima/facebook

15 anos da morte da princesa Diana


15 anos sem  Princesa Diana




 - Em 31 de agosto de 1997, um acidente fatal tirou a vida da princesa Diana e do namorado dela, o empresário Dodi Al Fayed. Quinze anos depois da sua morte, a mãe dos principes William e Harry ainda possui uma legião de fãs que fazem verdadeiras peregrinações ao palácio de Buckingham levando flores, presentes e mensagens. Foto: Reprodução/royal.gov.uk -
Em 31 de agosto de 1997, um acidente fatal tirou a vida da princesa Diana e do namorado dela, o empresário Dodi Al Fayed. Quinze anos depois da sua morte, a mãe dos principes William e Harry ainda possui uma legião de fãs que fazem verdadeiras peregrinações ao palácio de Buckingham levando flores, presentes e mensagens.
 Foto: Reprodução/royal.gov.uk/http://www.diariodepernambuco.com.br/Blog de Anchieta França

Alô Alô Secretário de Administração da PM de São João do Sabugi - RN


Veja  o estado que está o pórtico da entrada da nossa cidade, o povo pede que você remende ou mande consertar o nosso pórtico, pois afinal, não foi PAGO com seu dinheiro, e sim com o dinheiro do povo, e não faz nem um ano ainda, foi lhe oferecido material de 1ª por um sabugiense, você concordou, e encomendou, mas como sempre, não cumpriu com a palavra de CAVALHEIRO. Depois que o serviço estava pronto e impresso, você abriu da raia, e encomendou ao " sujeito " de Caicó. Agora o povo cobra pelo pórtico, e que seja logo, pois o que está lá, parece que foi feito de papel, mas foi pago como material de 1ª, foi ou não foi!!?








Começou o pula - pula

Ossada é encontrada em Ipueiras - Ce


Na manhã de ontem, quinta-feira (30/08) a delegacia de Polícia Civil foi informada que pela manhã, caçadores da localidade de São José de Lontras haviam encontrada uma ossada humana. 

As testemunhas relataram que avistaram vários urubus sobrevoando um determinado local, sendo que ao observarem de perto avistaram o corpo. O rabecão do IML da cidade de Sobral foi acionado e de imediato os Policias Civis Moura e Luiz Felipe, juntamente com os agentes de cidadania Mauro, Wellington e Ferreira deslocaram-se até a localidade que é de dificílimo acesso.  

O local onde o corpo foi encontrado fica ainda há uma hora de caminhada pela vegetação seca. O corpo pode ser do agricultor Antônio Barroso Mineiro, aproximadamente 55 anos, o qual é oriundo da localidade de Piau, zona rural de Croatá. 
Um cunhado da vítima o reconheceu pelas roupas que ainda trajava. A testemunha disse que Antônio  apresentava sintomas de depressão e fazia uso demasiado de bebida alcoólica. Ele estava desaparecido há aproximadamente 15 dias. O corpo foi removido para o IML de Sobral para análise.

Fonte: Ipu NoticiasBlog Combate Policial

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Meditando o Evangelho do dia


 (Mateus 24,42-51)












Quinta-Feira, 30 de Agosto de 2012 21ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 42“Ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor! 43Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada.
44Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá. 45Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? 46Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar.
47Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. 48Mas, se o empregado mau pensar: ‘Meu senhor está demorando’, 49e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; 50então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. 51Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes”. 

- Palavra da Salvação. 
Glória a vós, Senhor.

Pelas Caridade !


Multidão vai a enterro de galinha em Patos (PB) 


Multidão vai a enterro de galinha em Patos e até prefeito chora no velório
O velório da Galinha Rafinha atraiu uma multidão de curiosos na Cidade de Patos na tarde desta quarta-feira (28). O caso da Galinha ganhou repercussão nacional nas mídias sociais após o animal ter sido roubado da casa da dona Genecira de Oliveira. A galinha foi sepultada no cemitério São Mighel . 
A história ganhou destaque quando a família procurou a imprensa da cidade de Patos para fazer um apelo sobre o desaparecimento da galinha, já que o animal era criado como parte da família e todos estavam muito tristes com o desaparecimento de Rafinha.
Galinha Rafinha
Dias depois a galinha Rafinha foi encontrada morta em um sitio da cidade. Segundo informações do dono do sitio que não quis se identificar em que Rafinha foi encontrada, a galinha teria morrido de depressão.


Via R.Pires
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...